www.jornaldosespíritos.com

 
AACD
FUNDAÇÃO ABRINQ
PETIT EDITORA

Um AMOR, muitas vidas
DA REDAÇÃO

 

A Novo Ser Editora está lançando "Um amor, muitas vidas", de Jorge Damas Martins (foto), divulgador, estudioso e pesquisador do Espiritismo. Natural do Rio de Janeiro (1957), casado com Regina Lúcia, pai de dois filhos: Lucas e Pedro. Graduado em Psicologia, há trinta anos realiza palestras e seminários sobre Psicologia e Espiritismo. É autor de mais de vinte livros publicados. Damas, reuniu no seu livro "Um amor, muitas vidas" relatos e informações sobre César Burnier e Francisco Cândido Xavier que evidenciam a continuidade da vida depois da morte do corpo e a reencarnação. Nesta entrevista, o psicólogo revela como se tornou espírita, como concilia a vida familiar e profissional e as atividades de divulgação do Espiritismo e, o que mais o tocou na história de César Burnier.

1 - Quando foi que o Espiritismo passou a fazer parte de sua vida?
Desde 1977, quando passando pela rua Maia Lacerda, no bairro do Estácio, Rio de Janeiro vi uma placa indicativa: Centro Espírita Bezerra de Menezes. Fiquei fascinado quando pude assistir ali, uma palestra sobre "O Evangelho Segundo o Espiritismo", tudo fez sentido. Minha vida encheu de um novo entusiasmo.

2 - Quais são suas atividades no centro espírita? Há quantos anos se dedica a elas? Qual foi sua primeira tarefa na casa espírita?
A primeira tarefa na casa espírita foi escrever para o jornalzinho “O Boletim” do Centro Espírita Bezerra de Menezes, já citado. Corria o ano de 1978... A partir daí minha tarefa tem sido participar do movimento espírita brasileiro como um todo, no campo da divulgação por meio de palestras e livros.

3 - Quais são as principais virtudes – ou qualificações – para que o médium corresponda com as expectativas da espiritualidade?
Servir com disciplina e estudo constante do Evangelho de Jesus. Mediunidade sem Evangelho, sem esforço no bem, é porta aberta a obsessão.

4 - Qual é sua formação acadêmica?
Sou psicólogo, da área de Recursos Humanos.

5 - É difícil conciliar a vida familiar e profissional com os deveres na casa espírita?
É muito difícil. Inclusive penso com "O Livro dos Espíritos" na pergunta 676, o trabalho é expiação. Assim dividir atividade profissional e atividade espiritual é tarefa árdua, porém necessária para a evolução. No entanto, é bom que se diga de pronto: o trabalho humano não deve ser menosprezado nunca. É tarefa urgente ser célula co-participadora no desenvolvimento social do planeta. Inclusive o trabalho profissional não deve ser colocado em segundo plano, perante as atividades espirituais. A Lei é conhecida: primeiro o dever depois a devoção. Aliás pensando bem, dedicação ao trabalho profissional é, e não deixa de ser, trabalho espiritual.

6 - Quanto tempo demorou, para reunir as informações que deram origem a sua obra: “Um amor, muitas vidas”?
Conheci César Burnier e seus trabalhos ligados a reencarnação na História em 1979. Desde esta época leio e releio seus escritos inesquecíveis. Assim, quando fui escrever o livro “Um amor, muitas vidas” já possuía de forma sintética os quadros mentais em meu interior. Colocar no papel foi apenas tarefa de sintonização com os amigos espirituais, em especial o amigo comum Newton Boechat (meu e do César Burnier) que do meu lado inspirou o roteiro do livro. Está lá no prefácio a gênese da inspiração.

7 - Quais são suas expectativas em relação ao seu livro?
As expectativas são grandes. É um livro de uma beleza simples, que não traz novidades teológicas e doutrinárias. Ele trata das verdades básicas da nossa doutrina: imortalidade e reencarnação. Tudo porém com muita emoção e simplicidade da alma de uma criança: o espírito luminoso de Cezinha, filho de César Burnier.

8 - Para a maioria das pessoas,   a morte de uma criança é uma perda irreparável. “Um amor, muitas vidas” consola e esclarece os parentes desses desencarnados?
Muito, e o faz de uma forma inquestionável. Inclusive através da poesia, de muitas poesias, através do Chico Xavier e do César Burnier que são uma das provas mais fidedignas do fato da imortalidade. Afinal, conjugar harmonia, beleza, ritmo e métrica é algo surpreendente. E o Espírito Cezinha soube fazer isso como ninguém. É Espiritismo puro na sua forma mais consoladora.

9 - As experiências vividas por César Burnier – antes, durante e depois do seu desencarne – são tocantes. Qual delas o emocionou mais?
Muito tocantes. O que mais me impressionava no César Burnier era a sua forma de orar. Sentimos através dele, como se estivéssemos diante de Jesus, face a face. As lágrimas rolavam quentes e abençoadas. E ouvíamos sempre o Cezinha a dizer pelos lábios de nosso César: “Paizinho, Jesus é nosso amigo, e nunca mais nos deixará”.

10 - Entre os livros que já publicou, qual foi o que exigiu maior empenho de sua parte? Qual a razão da dificuldade?
O livro Regina – O Evangelho segundo Maria. Esse livro publicado pela Aliança da Fraternidade, instituição abençoada no Rio de Janeiro (Rua Paula Brito, 715 – Andaraí) é o maior repositório espírita sobre a Mãe de Jesus. Foi necessário ler a obra completa de Chico Xavier, Yvonne Pereira, Frederico Junior, Bittencourt Sampaio, Rochester, Sayão, Divaldo Franco, Zilda Gama, entre outros abençoados seareiros para pinçar os flashes inesquecíveis da vida de Maria Santíssima. Desde o planejamento de sua encarnação, passando pelo calvário do Mestre, sua dedicação no Cristianismo nascente, suas despedidas planetárias e seu Empenho como Mãe universal da Cristandade, são temas abordados nessa obra, que a inspiração do Espírito Bittencourt Sampaio fez por bem, por acréscimo de misericórdia nos guiar.

11 - De um modo geral, as pessoas estão buscando vivenciar o seu lado espiritual. Essa busca provocou uma corrida à literatura com temática espírita. Na sua opinião, essa tendência vai continuar?
Sim, e muito! Não só os livros espíritas mas o livro espiritualista. Nesta fase da humanidade é benção sem medida. Como nos diz Emmanuel no prefácio do livro "Nosso Lar": “Precisamos muito do Espiritismo, muito do Espiritualismo mas muito mais de Espiritualidade. A fome das coisas do Espírito é a carência do nosso momento. E o homem ávido de alimento  busca nos livros abençoados calorias para a  alma.

12 - Os interessados em participar de suas palestras onde poderão obter informações?
Toda quinta-feira, às 17h30, faço palestras sobre o Evangelho de Jesus em Espírito e Verdade, no Grupo Espírita Regeneração, casa fundada por Bezerra de Menezes (1891) situado a Rua São Francisco Xavier, 609 – Maracanã, Rio de Janeiro. No quarto sábado de cada mês, às 9 horas, na Aliança da Fraternidade falo sobre o Antigo Testamento, livro por livro. Nessas casas os estudos são sistemáticos. No movimento espírita a minha participação é de me colocar, sem reserva, à disposição de todas as instituições, espíritas e também espiritualistas.

Estou no Orkut onde poderá ser encontrado meu perfil e agenda e também no e-mail jdamas@globo.com e na Rádio Rio de Janeiro, 1400 AM, às terças- feiras, às 23 horas, quartas-feiras, às 20 horas, as quintas-feiras, às 15 horas, e as sextas-feiras, às 16 horas.

13 - Finalizando, sua mensagem aos leitores.
2011 será um ano de bênçãos. O homem amadurecido deve saber ser imperador ou melhor governador do seu destino. A fé raciocinada e o coração guia para o serviço no bem.

Facebook


Ir para página principal... 


Jornal dos Espíritos
- o seu jornal espírita na internet
 Copyright 2005 - Todos os direitos reservados.
 redacao@jornaldosespiritos.com
Microsoft Internet Explorer - 6.0 - Resolução: 800 x 600